terça-feira, agosto 17

Blue

Hoje o dia estava azul, belo, brilhante.
Mas não era assim que eu me sentia.
Os dias agora eram diferentes.
Essa distância, mesmo que pequena, quase virtual.
Tornavam as coisas azuis de uma maneira um tanto quanto incomoda.

Não via mais a beleza nas coisas.
Aquela beleza descomunal havia distorcido minha visão.
O sol, a lua, nada se compara.
Agora nada era tão... único e especial.
Só aquela beleza era corada, todo o demais ficava mais azul.

E então o sol começa a se por, banhando de escuridão o dia.
Escurecendo nossas vistas em direção a noite.
Então me percebo como um pequeno engano, um erro.
Algo que ganhou cor por uns dias, mas deveria ser mais azul.
E lágrimas correm em palavras, num misto de tristeza e felicidade.

Músicas, gestos, escritos.
Ambas tentam dizer aquilo que não fui capaz de dizer a tempo.
Tentando corrigir ações e ditos que não deveriam ter sido ditas.
Então bate um arrependimento e um pensamento:
Que momento blue.

Ah, se pudessemos voar com liberdade.
Deixar pra trás todo o peso do passado.
Sentir no rosto a brisa do que vem adiante.
Sabendo que as coisas, mesmo não sendo tão belas.
Ainda são belas.

E que o azul fique colorido.


Um comentário: